Beleza que nasce da função

“O que é prático é belo”, instituía como conceito primordial o estilo Shaker, iniciado no século 19 por membros da comunidade religiosa de mesmo 
nome. Tendo a funcionalidade como principal objetivo das construções, móveis e objetos que criavam, os artesãos shakers estabeleceram um novo 
paradigma para o design, em que a ornamentação deveria ser evitada. A estética seria consequência do bom desenho, e não uma meta do processo de 
criação.
Esse modo de pensar marcou definitivamente a história do design, e sua influência se mantém até os dias de hoje, como se observa na coleção de 
móveis do designer inglês Torsten Sherwood, inspirada nesses princípios. “O trabalho dos shakers era baseado na produção artesanal e no bom uso 
dos materiais. Dado que o feitio é tão importante para o design e para a arquitetura, eu acho admirável que eles tenham buscado o caminho da 
simplicidade e do bom-senso em tudo que produziram. E, como eles, espero mostrar que uma solução eficiente na técnica é eficiente na estética 
também”, diz Sherwood.
 
Fonte: Casa Vogue